Ayurveda : Bases, Surgimento & Objetivos

Bases

É muito rica a cultura do Ayurveda na Índia, pois seu surgimento remonta à milhares de anos atrás. Século após século, a referida cultura foi sendo refinada e desenvolvida pelos Maha Yogues. A história do Ayurveda se perde nos tempos e se confunde com a história de toda a Índia. Muito da cultura antiga das civilizações ocidentais – e mesmo orientais – se originaram daquele país.

Quando nos debruçamos sobre o estudo das tradições culturais da humanidade, nos deparamos com uma constatação: grande parte dos conhecimentos humanos foram impulsionados pela cultura dos chamados povos hindus – Índia Antiga. De lá fluíram os conhecimentos terapêuticos para as civilizações antigas, chegando, por exemplo, à Grécia Antiga e daí se expandiram pelo Ocidente.

As chamadas terapias alternativas aqui do Ocidente tiveram essa origem: Índia Antiga – muitas das vezes via Egito Antigo, China e Japão. No caso aqui em estudo – Massagem Ayurvêdica – ela está na base de todas as massagens desenvolvidas no Oriente e no Ocidente.

Surgimento

Tem-se, historicamente, que há 15.000 anos atrás, surgiu, na Índia, a cultura do Ayurvêda. Literalmente, “Ayur” significa “vida” e “Veda” significa “conhecimento”. Foram os Mestres Yogues Rishis que, em meditação, intuíram que o ser humano era um ser de energia.

A transmissão Gupta Vidya (Vaktrat Vaktrantaram) afirma que os Maha Yogues Rishis se afastavam para cavernas e lá, onde não há ruídos, ouviam, em meditação, o ritmo de seus fluxos internos – fluxo sanguíneo, linfático, digestivo, fluxo da respiração e, mais importante ainda, ouviam o fluxo de energia por todos os níveis de seu ser.

Perceberam que havia uma energia externa e uma energia interna, à qual denominaram de Prana (bioenergia) e que também havia um contínuo e concreto fluir dessa energia prânica do mundo exterior para o mundo interior e vice-versa.

Durante séculos, tais mestres, em seus Sadhanas, principalmente em práticas de meditação profunda, perceberam que, em certas regiões do corpo, esse fluxo energético era mais forte e intuíram que, nestas regiões específicas, havia fortes centros energéticos, aos quais denominaram de Chakras (centro, roda), e perceberam que essa energia prânica fluía para esses centros energéticos através de canais de energia, aos quais denominaram de Nadis. 

Estava, assim, estruturada a Fisiologia Energética do Ser Humano, conhecimento este desenvolvido em alto grau pelos mestres do Tantra.

O forte poder de intuição desses Maha Yogues Rishis de Bharata (Índia Antiga) fez com que eles percebessem que, quanto mais forte e livre estivesse essa bioenergia (Prana) fluindo pelas Nadis e pelos Chakras, mais vitalidade, força e saúde teria o ser humano.

Ainda em meditação, perceberam que se poderia ativar esse fluxo energético através de variadas formas e técnicas – nasciam, aí, as variadas terapias que deram origem ao Ayurveda – cultura do conhecimento da vida – pelos Maha Yogues Rishes da Índia Antiga. Uma das técnicas então intuídas pelos Maha Yogues Rishis foi a Massagem Ayurvêdica.

Objetivos


O Sistema Shivam Yoga se constitui em uma escola que engloba estudos do Ayurveda, do Tantra, do Samkhya e do Yoga Tradicional Indiano (Shivam Yoga) e todos esses estudos, em conjunto, abrem um leque de conhecimentos muito característico que propicia ao Massoterapeuta do Sistema Shivam Yoga ter segurança e capacidade para atuar de forma consciente – e com excelentes resultados.

Com esforço (Ishwrapranidhana), com disciplina (Tapas), com autoestudo (Swadhyaya), com ética e responsabilidade (Asteya e Aparigraha) e dentro da verdade (Satya), o Massoterapeuta do Sistema  Shivam Yoga tem as bases para se alicerçar em sua caminhada com sucesso e felicidade.

Seu desenvolvimento e realização estarão diretamente ligados a seu Dharma como Massoterapeuta e o cumprimento de seu Dharma com consciência e desprendimento lhe propiciará se firmar na Senda Espiritual Tântrica e do Shivam Yoga de forma prazerosa, alegre e feliz.

Posted on: 06 de julho de 2015, by : Mathias Luz