Alimentação

Alimentação no Tantra

O Tantra juntamente com a filosofia do Samkhya se constituem nas duas correntes de pensamento mais antigas da humanidade. Ambas surgiram com os povos dravidianos, habitantes do Vale do Indo (Índia Antiga), cerca de 15.000 anos atrás. Esses povos desenvolveram uma cultura muito adiantada nas cidades de Mohenjo Dharo e Harapa, entre outras. Eram povos matriarcais, não militaristas e, em geral, vegetarianos. Viam a natureza como espiritual e o ser humano, como parte integrante dessa natureza.

O Tantra nasceu como forma de despertar a consciência do ser humano para o seu comportamento, para as suas ações no mundo e para as suas responsabilidades para consigo mesmo e para com o mundo exterior. A filosofia do Tantra, que literalmente significa teia ou tratado, ou, ainda, coleção de livros, possui todo um arcabouço teórico-filosófico de direcionamentos para o dia-a-dia do ser humano, inclusive sobre sua alimentação, procurando desenvolver nos discípulos (Sadhakas) a consciência de seus poderes latentes e de como utilizá-los para a sua felicidade e bem-estar, incluindo a consciência alimentar.

Segundo o Tantra, o Universo é poder. Tudo está impregnado de poder. O ser humano, por sua vez, é um ser muito poderoso, mas que, muitas das vezes, por viver em estado de Avidya (ignorância), não utiliza desses poderes e, ainda pior, muitas das vezes, usa-os de forma errada ou egoísta, dominado pelo Guna Tamas.

Com o objetivo de despertar a consciência do Sadhaka, o Tantra prescreve muitas formas para que o discípulo adquira consciência e desenvolva seus poderes e os utilize, não só para o seu crescimento, mas também para o crescimento da humanidade. No Tantrismo, há toda uma busca de levar o Sadhaka para uma maior consciência alimentar. Assim, o Tantra prescreve para o Sadhaka uma alimentação natural (ovolactovegetariana e – idealmente -, vegetariana), através de estudos e da prática do Anna Yoga (Yoga da Alimentação), o que lhe trará saúde e felicidade, preceitos básicos também presentes no Ayurveda.

A Exploração Animal no Mundo “Moderno”

Percebe-se, com relação à alimentação, que muitos caminhos foram traçados pelas sociedades ao longo dos tempos, hoje prevalecendo a forma carniceira de se alimentar. No Ocidente, essa forma é agravada pelos princípios capitalistas do lucro.
Saúde, no Ocidente, é um termo que, quando é pensado, é pensado e vivenciado de uma forma egoísta, sem nenhuma reflexão mais consciente, e, por isso, ações são levadas adiante sem se estabelecer nenhuma relação amorosa com a Natureza e com os animais. Em função de uma imensa demanda por alimentos – desenfreada e sem a mínima consciência – arquiteta-se um famigerado comércio ligado à indústria alimentar e, em função das doenças que surgem pela alimentação errada, constrói-se, também, outro inescrupuloso comércio, este agora voltado para o combate a essas doenças, ou seja, fortalece-se dia-a- dia a “indústria da saúde”.

Exemplos de Líderes Conscientes da Exploração Animal

 

Albert Einstein

“É auspicioso e colabora com a paz quando as pessoas escolhem se tornarem vegetarianas.”  

Leonardo da Vinci

“Números incontáveis de animais terão seus filhos arrancados deles, rasgados e barbaramente trucidados para servirem como carne aos homens.” 

Mahatma Gandhi

“Sinto que o progresso espiritual requer, em uma determinada etapa, que paremos de matar nossos companheiros, os animais, para satisfação de nossos desejos corpóreos”.

“A grandeza de uma nação e seu progresso moral podem ser avaliados pelo modo como seus animais são tratados”.

 

Gautama Buda

“Pelo receio de causar dor e terror às criaturas viventes … deixe seu Buda interno despertar em si a compaixão para que você não faça o uso de carne na sua alimentação.”

São João Chrysoston

“Nós, os líderes cristãos, praticamos a abstinência de carne para termos domínio sobre nosso corpo … comer carne é algo antinatural e poluidor”. (ROSEN, S. Diet for Transcendence. Delhi: New Age Books, 2005. p. 22)

Henry Thoreau 

“Não tenho dúvida de que a suspensão do consumo de animais faz parte integrante do destino da raça humana em seu aperfeiçoamento gradual.”

Adam Smith

 

“Pode-se, de fato, pôr em dúvida se a carne dos açougues é necessária a vida. Grãos e outros legumes, juntamente com o leite, queijo e manteiga propiciam a dieta mais saudável, nutritiva e revigorante.” (A Riqueza das Nações) 

Krshina

“Todos que participam do negócio: Aqueles que apóiam ou se acumpliciam, aqueles que matam, aqueles que destrincham, aqueles que vendem, aqueles que preparam, aqueles que oferecem, aqueles que comem … todos são assassinos.”

 

Swami Prabhupada

“Os animais são mantidos vivos e engordados através da administração contínua de tranquilizantes, hormônios, antibióticos e 2.700 outras drogas.”(NULL, Steven. Poison in your body. In: Prabhupada, A. C. B. S. Gosto Superior. São Paulo: Trust, 2000.
“A cada ano matam-se 134 milhões de mamíferos e 3 bilhões de aves para alimento nos EUA. Mas poucas pessoas fazem qualquer ligação consciente entre essa matança  e os produtos cárneos que aparecem em suas mesas”. (O Gosto Superior)

A Realidade Brasileira

 

É muito triste ver a forma como a indústria capitalista se utiliza dos animais, com a complacência de todos (exceto por uma minoria de vegetarianos pelo mundo). Essas memórias e essas últimas citações apontam para a forma de desenvolvimento no setor pecuário e agrícola que se instituiu no Brasil.

A “modernização” capitalista contaminou as mentes dirigentes do país desde a década de 60 e o país vem caminhando a passos largos para ser o celeiro do mundo, mas para isso todas as reservas naturais estão sendo destruídas e contaminadas. A falta de escrúpulos contamina todos, sejam produtores, sejam atravessadores, sejam consumidores.

O país se torna moderno, as populações rurais migram para os grandes centros, vivendo perifericamente (em relação a tudo) nas megalópoles, a área rural se torna industrial, não mais possuindo agricultores, mas trabalhadores-operários que vivem miseravelmente nas cidades.

Eles se deslocam para o campo para trabalhar, o pequeno agricultor não mais existe, o que existem são as multinacionais produtoras de alimentos (vegetais e animais), muitos transgênicos, e a agricultura natural é apenas um eco de um passado distante, arcaico e atrasado, existindo apenas como um fantasma presente no inconsciente do brasileiro de meia idade e esse fantasma, como tal, deve ser esquecido, pois representa o que de mais atrasado existe.

Tragicamente, esse é o enredo que se desenvolve no Brasil de hoje. E o mesmo se pode dizer do mundo.

O Papel dos Shivam Yoguins & Yoguines

O Sistema Shivam Yoga é uma escola que se torna um guardiã da sabedoria do Tantra e, como tal, vem, gradativamente, buscando dar consciência alimentar, individual, social e política para os seus integrantes, visando a promover uma real transformação das pessoas que entram em contato com o Sistema, retirando-as dos processos educacionais alienantes a que são submetidas.
Aqueles que trabalham com as técnicas do Sistema Shivam Yoga, por ter sua consciência desperta, terão a seu dispor as ferramentas ideais para fazer um trabalho de transmitir para as pessoas em geral e, principalmente, para seus alunos, a necessidade de mudarem seus hábitos alimentares.
Poderá, com seus conhecimentos, vivências e experiências, orientar a alimentação dessas pessoas que lhes procuram, ensinando-lhes como escolher seus alimentos, como prepará-los e como ingeri-los. Ao agir dessa forma estará inclusive criando um Karma positivo para si mesmo e estará certamente cumprindo com seu Dharma (seu dever) como iniciado na Senda. Primeiramente, porém, deve já vivenciar em seu dia a dia esse Dharma como missão e dever de forma natural.