Massagem Ayurvêdica

Ayurveda : Cultura do Conhecimento da Vida da Índia Antiga

Um Pouco de História 

Tem-se, historicamente, que há 15.000 anos atrás, foram surgindo, na Índia, a cultura das terapias, que, posteriormente, foram catalogadas como Ayurveda.

Literalmente, “Ayur” significa “vida” e “Veda” significa “conhecimento”. Foram os Mestres Yogues Rishis que, em meditação, intuíram que o ser humano era um ser de energia. Esses Rishis se afastavam em cavernas e lá, onde não há ruídos, ouviam, em meditação, o ritmo de seus fluxos internos – fluxo sanguíneo, linfático, digestivo, fluxo da respiração e, mais importante ainda, ouviam o fluxo de energia por todos os níveis de seu ser.

Perceberam que havia uma energia externa e uma energia interna, à qual denominaram de Prana (bioenergia) e que também havia um contínuo e concreto fluir dessa energia prânica do mundo exterior para o mundo interior e vice-versa.

O forte poder de intuição desses Maha Yogues Rishis de Bharata (Índia Antiga) fez com que eles percebessem que, quanto mais forte e livre estivesse essa bioenergia (Prana) fluindo pelas Nadis e pelos Chakras, mais vitalidade, força e saúde teria o ser humano. Ainda em meditação, perceberam que se poderia ativar esse fluxo energético através de variadas formas e técnicas – nasciam, aí, as variadas terapias que deram origem ao Ayurveda – cultura do conhecimento da vida – pelos Maha Yogues Rishes da Índia Antiga.

Perspectiva do Shivam Yoga sobre o Ayurveda

 

A definição de Ayurveda é algo bastante complexo. Certamente que cada escola irá procurar definir o Ayurveda segundo seu entendimento da existência e do caminho que se traça no mundo das chamadas “terapias alternativas”.

 

Tal conceituação instituída pela escola, irá, de alguma forma, apresentar a linhagem a que a escola está ligada. Quando se define Ayurveda, por exemplo, como “Ciência da Vida” ou “Medicina Ayurvédica” ou algo similar, já se percebe que a orientação básica do “terapeuta” ou de sua escola é a da adaptação ao mundo ocidental, ou seja, ao pensamento das ciências do Ocidente (Medicina e similares).

 

Isto já define o paradigma a que se está atrelado e muito mais… Traduzimos o termo “Ayurveda” como o compreendemos, ou seja, como “cultura do conhecimento da vida” ou “cultura do autoconhecimento da Antiga Índia”, pois, para o Sistema Shivam Yoga, o foco principal do Ayurveda é o de levar o indivíduo a adquirir uma maior compreensão de si mesmo, para, a partir de tal processo, o adepto de tal cultura conseguir estar no mundo de forma mais consciente possível.

 

São muitos séculos de desenvolvimento do Ayurveda. Essa corrente de pensamento se constitui na catalogação de um conjunto de terapias desenvolvidas através dos Maha Yogues Rishis da Índia Antiga.

 

Objetivos

Muitos são os objetivos do Ayurveda, destacando-se, além do processo de autoconhecimento, a prevenção de doenças e o processo de combatê-las, dando-se direcionamentos comportamentais àqueles que procuram suas técnicas, procurando levar o iniciado a adquirir hábitos saudáveis.

 

Uma das técnicas então intuídas pelos Maha Yogues Rishis foi a Massagem Ayurvêdica. São muitos e variados os objetivos de uma sessão de Massoterapia Indiana dentro do Sistema Shivam Yoga. Entre eles, destacam-se:

  • Desobstrução e ativação das Nadis;
  • Desobstrução e ativação dos centros de energia (Chakras);
  • Liberação dos bloqueios e couraças.
  • Despertar do autoconhecimento e da consciência.

Filosofia

O Ayurveda, seguindo o Samkhya, pensa o Universo como sendo regido pela força do Dharma, e que essa força, imanente ao próprio Universo, pois produzida pelas formas nele presentes, trabalha sempre no sentido de trazer harmonia para todos os seres existentes, integrando-os em uma corrente energética poderosa.

Quando o ser humano vive de forma a se sintonizar com o Dharma como força universal, ele passa a viver em estado de equilíbrio e de saúde e, portanto, de felicidade. Para o Ayurveda, saúde está sempre ligada aos hábitos que o indivíduo possui e à forma como esse indivíduo se desenvolve em sua existência.

Um indivíduo que vive em estado de Avidya (ignorância) tenderá a ter ações nocivas à vida como um todo – tenderá a não ter consciência alimentar, tenderá a ter uma vida sedentária, a se deixar dominar por sentimentos negativos de ira, raiva, ódio e não saberá lidar com tais situações de forma a não introjetar (somatizar) esses sentimentos negativos e, dessa forma, acabará por “atrair” para si algum tipo de doença.

Um Massoterapeuta Ayurvêdico formado no Sistema Shivam Yoga desenvolve conhecimentos e variadas técnicas que lhe possibilitarão ter uma visão bastante abrangente de saúde/doença e das relações ser humano/hábitos/comportamento e a forma de inserção de seu cliente na família e na sociedade. Duas ferramentas lhe serão muito importantes: sintonia e intuição.